Descubra Qual Animal De Estimação Mais Combina Com Você

Descubra Qual Animal De Estimação Mais Combina Com Você

Muitas dessas pessoas acabam por alimentar o animal com sobras de mesa, o que prejudica o bem-estar, desenvolvimento físico e saúde do pet, incluindo aspectos fisiológicos e longevidade. Como entidade representativa do Setor de produtos para animais de estimação, a Abinpet discute e analisa, constantemente, diversas normas para assegurar a qualidade da produção e do manejo de alimentos para os pets.

Por meio de apoio a grupos de pesquisa, tanto de universidades quanto os formados pela própria entidade. Sabe-se que o alimento industrializado, por atender às normas e regulamentações específicas de órgãos governamentais e agências regulatórias, é o único que seguramente tem a quantidade ideal de nutrientes diários para o pet.

139,3 Milhões De Animais De Estimação No Brasil

As mudanças do perfil das famílias brasileiras têm grande impacto nessa relação entre humanos e pets. Houve um aumento de casais que optam por não ter filhos, ou somente um filho, e buscam a companhia de um pet. Como membro da família, o bicho vive cada vez mais dentro de casa, especialmente em apartamentos, por conta da verticalização dos centros urbanos.

Isso faz com que os donos aumentem os cuidados com a saúde do animal e invistam mais em alimentação, idas ao veterinário e em creches e profissionais do ramo, como dog walkers. Quem ama e cuida bem de animais de estimação procura garantir o melhor para eles, que são para muita gente parte da própria família.

Na idade moderna, os animais eram utilizados também como cães de guarda, como meio para levar carroças e trenós e acompanhar tropeiros e agricultores. Na idade do bronze e do ferro, os cavalos eram muito utilizados como meio de transporte, por serem considerados mais rápidos que outros meios.

Essa interação com os animais apareceu também na mitologia, com deuses que tinham a composição de animais misturados com humanos, representando valores, proteção e esperança. Atualmente, é possível verificar que os animais estão presentes e possuem papel muitas vezes ativo em desenhos animados, filmes, livros e propagandas.

animais de estimação

Beagle Mini

Entretanto, considerando a quantidade de referencial bibliográfico encontrado para essa pesquisa na área de Psicologia, pode-se perceber que o tema relação homem-animal já vem sendo alvo de atenção desses profissionais. Os animais podem ser considerados como uma fonte de amor e nessa relação homem-animal ocorre também uma busca por carinho.

Segundo Perls, no contato o homem se relaciona consigo, com o outro e com o mundo, formando um ser de relação. O contato pode também ser uma forma de o ser humano se ajustar de forma criativa no meio. Dessa forma, ao ter contato com seus animais de estimação, os entrevistados relatam que nessa relação surgem sentimentos que eles nomeiam como amor e carinho.

O homem sempre dependeu de interações com outras espécies para a sua sobrevivência, sendo que esta relação a priori era de predação, passando mais tarde para a domesticação. Conforme essa interação foi se desenvolvendo, surgiram ideias a respeito da utilização de animais como recurso terapêutico.

Segundo 37% dos entrevistados, seus cães mostraram dificuldade em suportar o confinamento, algo que se nota menos nos gatos, para os quais a incidência dessas respostas, segundo o autor, é quase irrelevante. Uma das principais razões dessa tensão é a redução do tempo de passeio dos cachorros.

No estudo, observa-se que, antes do confinamento, apenas 7,9% passeavam por menos de meia hora por dia com seu cão, enquanto durante o período de Golden Retriever altas restrições o número subiu a 49,7%. A outra ponta do gráfico indica que 29,2% dos cães saíam por cerca de duas horas antes da era da covid-19 e que, durante as três primeiras semanas de fechamento, apenas 2,5% tiveram essa liberdade. É verdade que estão menos tempo sozinhos, mas perderam qualidade de vida por outro lado. Isto pode justificar que pareçam mais nervosos, latindo mais e chamando mais a atenção”, justifica o especialista.

Depois dos cães e gatos, os porquinhos-da-índia e os coelhos estão entre os animais de estimação mais numerosos. Há cerca de 400 mil porquinhos-da-índia apenas no Reino Unido e, de acordo com as estimativas atuais, foram domesticados antes mesmo dos gatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *